Anemia ferropriva na infância

Anemia Ferropriva em crianças

É muito comum, nos consultórios de Nutrição, encontramos mães com suas crianças a procura de ajuda para reverter o quadro de anemia. Neste artigo vamos conversar um pouco a respeito da anemia ferropriva e como combatê-la a partir dos cuidados com a alimentação.

Primeiro temos que entender que existem vários tipos de anemia, que se define como: níveis de hemoglobina abaixo dos valores considerados normais devido á condições patológicas. Esta redução dos níveis da hemoglobina pode ser devido a diversos fatores como: infecções crônicas, problemas hereditários sanguíneos, carência de um ou mais nutrientes essenciais para a formação da hemoglobina,como por exemplo o ácido fólico, vit. B12, B6 e C e proteínas.

A anemia ferropriva é aquela caracterizada pela deficiência de ferro. Esta anemia pode se iniciar ainda no período intra-uterino, quando a mãe apresenta baixa ingestão de alimentos fonte de ferro e suas reservas já estão depletadas. Porém, durante os seis primeiros meses de vida o leite materno é capaz de suprir toda a necessidade de ferro que o bebê necessita. Após este período a alimentação complementar deve ajudar a suprir as necessidades. Entretanto, é nesta fase que aumenta o risco de desenvolver a anemia, pois a alimentação oferecida é pobre neste mineral.

Outro fator que interfere no quadro da anemia é a biodisponibilidade do ferro oferecido. O mineral apresenta-se nos alimentos de duas formas: heme e não-heme.

O ferro heme está presente nas carnes e vísceras e tem maior biodisponibilidade e não estão expostos a fatores inibidores. O ferro não-heme, contido no ovo, cereais, leguminosas (feijão) e nas hortaliças (beterraba) são menos absorvidas pelo organismo, porém podem aumentar sua biodisponibilidade com a interação com a vitamina C ou A.  O cálcio, fitatos, presente em sementes e leguminosas, taninos, encontrados nos chás e café, e oxalatos, presente no chocolate, diminuem a absorção do ferro.

Uma alimentação com alta biodisponibilidade de ferro deve ser então diversificada, com quantidades moderadas e carne, ave, peixe e alimentos ricos em vitamina C. Para a alimentação das crianças segue algumas orientações:

  • Ofereça após as principais refeições suco de frutas cítricas como laranja, acerola, morango, goiaba, kiwi;
  • Adicione as verduras verde-escura às preparações cozidas, como por exemplo brócolis cozido no arroz, couve cozida com angu ou polenta;
  • Prepare vísceras ou miúdos ao menos uma vez por semana, como coração ou fígado de galinha cozido, tirinhas de fígado bovino  acebolado. Outra forma de preparar o fígado bovino é como patê, as crianças adoram.
  • Evite sobremesas a base de leite, como sorvete, pudins, creme de leite. Prefira as frutas cítricas.
  • Utilize farinhas, biscoitos e outros alimentos fortificados ou suplementados com ferro, existe uma grande diversidade no mercado.
  • Não substitua refeições salgadas por alimentos lácteos, biscoitos ou guloseimas.

O principal tratamento da anemia ferropriva é a reposição dos estoques de ferro no organismo, com a alimentação na maioria das vezes é possível. Entretanto em alguns casos o pediatra ou nutricionista recomenda o uso dos sais de ferro como suplementação, como por exemplo, o sulfato ferroso, lactato ferroso. Tais podem induzir algum efeito colateral como diarréia e fezes escuras.

Porém, as modificações na alimentação são fundamentais para a melhora do quadro e consequente mudança de hábito visando aumento do aporte de ferro. Em todo caso o acompanhamento com o nutricionista é essencial.

Queridas leitoras e leitores. Espero ter colaborado para melhor entendimento sobre a anemia ferropriva e como reverter a situação tão comum entre as crianças.

Fonte:  ANutricionista.Com – Glaucia Figueiredo Justo – CRN4 09100413 – Nutricionista em Vitória e Vila Velha.